Análise Fisiográfica: Relevo - Hipsometria - Declive - Exposição De Encostas

14 de Fevereiro, 2016

O presente tutorial QGIS apresenta um conjunto alargado de procedimentos para análise fisiográfica.

São levadas a cabo duas abordagens distintas:

  • Escala média - a região do Algarve será utilizada como case study;
  • Escala semi-detalhada - o concelho de Lagoa será utilizado como case study.

Na análise fisiográfica à escala média utilizam-se três modelos digitais do terreno (MDT) que estão disponíveis na Internet (ASTER GDEM, EU-DEM e SRTM). O case study aqui apresentado pode, por isso, ser replicado com muita facilidade, quer para outras regiões de Portugal, quer para outros países.

Para este case study foi, adicionalmente, feita uma avaliação da qualidade dos MDT através da comparação com a Carta Militar de Portugal à escala 1:25.000, com o intuito de escolher um dos três modelos e, depois, utilizar o melhor para uma caracterização da hipsometria, dos declives e da exposição de encostas na região.

Na análise fisiográfica à escala semi-detalhada, os modelos digitais do terreno são construídos a partir de cartografia topográfica digital, recorrendo a um procedimento de triangulação (TIN) e a uma interpolação. É, consequentemente, mais difícil replicar o case study aqui apresentado, porque é indispensável ter acesso a essa fonte de informação, o que nem sempre é simples ou possível.

É, igualmente, feita uma análise comparativa entre o DTM obtido a partir de cartografia topográfica digital, o DTM obtido por detecção remota e a Carta Militar de Portugal.




Categorias: aster gdem, declive, eu-dem, exposição de encostas, fisiografia, hipsometria, mdt, relevo, srtm


Blog desenvolvido com Octopress